2008/06/03

Quando o total chega aos 130%

Manuel Sebastião, presidente da Autoridade da Concorrência, afirmou hoje no Parlamento que o peso dos impostos nos combustíveis rondam os 50%. Considerando os preços antes de impostos, o peso da área de refinação varia entre 75 e 80%.

Jornal de Negocios
Existe uma clara incongruência contabilística e linguística aqui. Manuel Sebastião, não contente em afirmar que "o peso rondam" demonstra que quando vamos à bomba pagamos 130% daquilo que pagamos. Sem contar com a margem de retalhe. Ora vejamos:

1,40 x 0,80 = 1,12 € para a refinaria
1,40 x 0,50 = 0,70 € para o estado
Já vou em 1,82 € dos 1,40 €.

O sr da bomba não leva nada?
A família Al Saud dá-nos o crude de borla ?
Foi um relatório que valeu o tempo de espera. Claramente.

9 comentários:

Ricardo G. Francisco disse...

Filipe,

Os cálculos não são antes assim?

1,4 * 50% = 0,7 Euros imposto ou preço antes de imposto

0,7 * 80% = 0,56 Peso da área de refinação

Ficam 0,14 para a distribuição, ou seja 10% do custo total para a distribuição desde a refinaria até ao cliente final.

Não é isto?

José, o Alfredo disse...

É natural que as suas contas dêem mais que 100%, porque estão mal feitas. Aplicou os 80% ao preço de venda ao público (suponho que 1,40 represente um preço de €1,400 no retalhe, como lhe chama), quando o Jornal de Negócios dizem que o Sebastião falou em preços antes de impostos.

Também é justo assinalar que quem escreve, e mal, que 'o peso rondam' é o Jornal de Negócios, e não o Sebastião.

Os 75 a 80% das contas do Sebastião respondem às suas duas perguntas: o preço dos produtos refinados engloba, naturalmente, o do crude e uma parte dos restantes 20 a 25% será para o sr da bomba, presumo eu.

Filipe Melo Sousa disse...

As minhas contas são feitas a fazer fé nesta notícia. Se não confiamos na imprensa como podemos saber o que afirma o Sebastião?

José, o Alfredo disse...

As suas contas são mal feitas porque não sabe ler. Faça fé e confie, mas não em si próprio.

Experimente ler 130 vezes a frase "Considerando os preços antes de impostos" e depois vá devagarinho a partir daí.

Filipe Melo Sousa disse...

O cabeçalho é claro: "Refinaria pesa entre 75 e 80% nos preços dos combustíveis". Temos de acreditar na imprensa.

Tarzan disse...

Caro Filipe,

desta vez não leva a taça. A notícia é clara que os 75%-80% se referem ao preço antes de imposto. O título induz outro raciocínio mas não contradiz que os 75%-80% se referem ao preço antes de imposto.

Não custa nada reconhecer que se erra. Só dá credibilidade.

Miguel disse...

Lipinho sempre em grande

Filipe Melo Sousa disse...

Como é feito o preço sei eu. Por isso é que n me deixo enganar pelas manchetes. A manchete é claramente enganadora. E o desenvolvimento da notícia está mesmo errado. Mesmo antes de impostos, a refinação é uma parte mínima dos custos.

Tarzan disse...

Caro Filipe,

aqui tenho de lhe dar razão. Segundo se pode ler aqui (http://www.eia.doe.gov/bookshelf/
brochures/gasolinepricesprimer/) e embora se refira à realidade americana, em 2007 os custos de refinação andaram pelos 17% do preço final enquanto que o preço do crude contribuiu 58%.