2008/01/01

Inebriações legislativas I

Pela minha parte estou já preparado para nos próximos temos chatear muita gente.
Assim termina a resolução de ano novo da presidência do liberalismo tuga.

Armada a malta do progresso com a nova boa lei, saliva já, no dia 1, pela oportunidade de meter o bedelho, acompanhada da ASAE, da Inspecção Geral do Trabalho e das demais agências armadas da coerção pela boa causa, nas relações humanas e profissionais, bem como na casa dos outros.

Afinal, a oportunidade de guiar pela mão os pobres estúpidos, incautos e ignorantes que ainda não foram expostos à Verdade revelada é algo que faz concerteza salivar qualquer bom planeador central que se preze.

Mais ao lado, vaticina-se até o dia de hoje como o Dia da Liberdade. Todos os atentados ao contribuinte, todas as intromissões na vida privada, os abusos, as perversões e os desvarios (impostos no passado por outros tantos iluminados) do estado omnipresente no nosso dia-a-dia aparentemente acabaram hoje, porque finalmente uns quantos vão poder exercer o seu direito humano e fundamental a comer uma sandoca no centro comercial sem que ninguém à sua volta esteja a fumar.

A exercer o seu direito egoísta, sustentado pelo braço coercivo do estado, a ditar e a impor as regras e o que é tolerável ou aceitável nos sítios que frequentam, senhores do politicamente correcto em casa alheia.

São estas as prioridades dos liberais tuga. Apoiar as boas leis e depois arregaçar as mangas para chatear o próximo. Nada que, afinal, nos surpreenda particularmente, mas que não podemos deixar de assinalar com o respectivo nojo e asco quando é protagonizado com tanta clareza.

4 comentários:

CGP disse...

Todos os fascismos têm os seus bufos a sustentar a coerção. Cada qual no seu tempo...

AA disse...

um pouco nojento chamar "liberalismo" ao socialismo reassabiado desses tiranetes...

Anónimo disse...

É bom saber que o nosso blogue SCLS continua a ter tantos leitores fieis, ainda que eventualmente apenas ocasionais.

Seria entretanto justo que esses leitores fieis ousassem também aplaudir os posts com os quais concordam, em vez de apenas amocharem naqueles dos quais discordam.

Luís Lavoura

Miguel Duarte disse...

Caro JLP, nojo e asco tenho também eu de quem anda desde que me lembro de existir a respirar o que não quero, com efeitos para a minha saúde pelos quais eu não tenho qualquer responsabilidade. Nojo e asco tinha eu quando se podia fumar no meu local de trabalho e chegava a casa a tresandar a tabaco, ou quando a minha namorada ficava com o cabelo empestado do maravilhoso perfume do tabaco dos outros.

Felizmente, são tempos que acabaram.

Mas se tens saudade desses tempos, é só convidares muitos fumadores para fumar em tua casa e perfumar e purificar assim o ar que respiras. Está descansado que não irei chamar a ASAE.

É incrível como ainda exista quem pense que as leis não se são para cumprir e que não é ao cidadão comum que assiste fazer-se cumprir as leis, principalmente quando a liberdade desse cidadão está em causa.