2007/02/07

(Outras) broncas éticas à espera de acontecer com o aborto livre até às 10 semanas II

Meeting with Stephen, Aaron tells him that all the tests have been done and the tissue match looks good. It will take a day to harvest the fetus but he’s ready. Stephen asks how the transplant actually works, and Aaron outlines the process, “We inject the fetal brain cells directly into your brain and then the new cells start producing dopamine which is the chemical that controls motor control.
Os bébés-medicamento (via O Insurgente).

7 comentários:

SMP disse...

Isso começa a parecer desespero de causa, João... a liberdade, se é de uma liberdade que se trata (e pensei que tínhamos assentado que sim, pelo menos no que te diz respeito) não deve ser cerceada pela simples razão de poder ter consequências nefastas.

JLP disse...

Não é desespero de causa. Eu estou em paz com as consequências éticas do meu voto Sim se o cenário fosse diferente.

Também tenho a minha resposta ética aos problemas que coloquei, e que é uma consequência directa da maneira global como vejo o problema.

O que eu questiono é se muitas das pessoas que estão do lado do Sim também terão a cabeça arrumada e terão a noção das consequências admissíveis do que está em cima da mesa.

SMP disse...

O que eu questiono é se muitas das pessoas que estão do lado do Sim também terão a cabeça arrumada e terão a noção das consequências admissíveis do que está em cima da mesa.

Isso soa àquele tipo de ameaça paternalista que os pais fazem aos filhos quando desistem de os tentar convencer a não fazer qualquer coisa: faz, mas vais ver que...

A correcção das soluções não se mede pelos eventuais erros ou falácias daqueles que as defendem.

JLP disse...

"Isso soa àquele tipo de ameaça paternalista que os pais fazem aos filhos quando desistem de os tentar convencer a não fazer qualquer coisa: faz, mas vais ver que..."

A questão é que eu, em tese, não tenho nada a opôr aos comportamentos que são retratados por estes artigos.

Como tal, não posso ser paternalista porque não faço um juízo moral negativo sobre eles.

Anónimo disse...

O melhor é mesmo proibir o aborto, não vão estas broncas éticas surgir.

O melhor é mesmo proibir o aborto, não vá o Estado ter a ideia de financiá-lo.

Anónimo disse...

Por detrás de cada argumento contra a liberalização do aborto, há sempre, nem que esteja escondida, uma conceção ética.

JB disse...

O melhor é mesmo proibir o aborto, não vão estas broncas éticas surgir.

O melhor é mesmo proibir o aborto, não vá o Estado ter a ideia de financiá-lo. - Anónimo

Pois, mas parece ser esse o raciocínio de alguns liberais. O que, sinceramente, é patético. Ou melhor, é patético se for dito por um liberal.