2007/01/30

Respostas ao desafio I

Até agora responderam ao desafio lançado 13 pessoas do lado do SIM: a Sandra e o Zé, cá da casa; 2 anónimos; o Miguel Madeira do Vento Sueste; o Tiago Mendes do Logicamente Sim; o Luís Pedro do Rabbit's Blog; o Ricardo Alves do Esquerda Republicana;o Pedro de O Parcial; o Willespie de Willespie - Um Liberal Democrata e Otto Costa e o Lourenço de Complexidade e Contradição. Do lado do NÃO, apenas 3 pessoas: Mentat prestes a iniciar o seu blog, Miranda e Gabriel do Blasfémias.
Não sei qual o motivo desta diferença tão grande de respostas entre os apoiantes do SIM e do NÃO. Haverá, como dizem as sondagens, mais apoiantes do NÃO do que do SIM? Estarão os apoiantes do SIM sobre-representados entre os leitores deste blog? Estarão so apoiantes do NÃO menos disponíveis para o debate? Possivelmente um pouco das três.

11 comentários:

Mentat disse...

»»»Mentat prestes a iniciar o seu blog,...«««

Caro Carlos

Isso, é capaz de ser uma previsão muito optimista.
Mas agradeço a gentileza.

.

Mentat disse...

»»Haverá, como dizem as sondagens, mais apoiantes do NÃO do que do SIM?««

Esta frase deve ser ao contrário, não ?
.

Mentat disse...

»»»Estarão os apoiantes do NÃO menos disponíveis para o debate? «««

Caro Carlos

Esta para mim, acho que é a principal razão.
Uma parte dos apoiantes do Não, na qual eu me incluo, pura e simplesmente não concordam com o referendo, por isso logo à partida a sua disponibilidade para o debate está prejudicada.
Eu até estou admirado que tenham aparecido tantos movimentos de apoio ao Não.
.

JB disse...

Uma parte dos apoiantes do Não, na qual eu me incluo, pura e simplesmente não concordam com o referendo, por isso logo à partida a sua disponibilidade para o debate está prejudicada. - Mentat

Há muitos do "sim" que não concordam com o referendo. Aliás, o promotor do referendo foi o Marcelo.

Não me parece ser essa a razão. Parece-me é que os apoiantes do "não" estão menos interessados em debater a questão, talvez porque quem quer a mudança seja o "sim".

Mentat disse...

»»»Aliás, o promotor do referendo foi o Marcelo.«««

Caro JB

Isso foi no outro de há 8 anos.
Este é da iniciativa exclusiva do Socrates, devidamente escudado nas promessas da campanha eleitoral.
Promessas que teve de fazer para conseguir o acordo com o grupo das deputadas independentes.
Aliás se o que se pretende não fosse a pura e simples liberalização do aborto, podia ter aceite a proposta dessas deputadas e dispensava-se perfeitamente este referendo.
.

Tiago Mendes disse...

"Logicamente, sim" - com virgula. Grato.

Tiago Mendes disse...

"Não sei qual o motivo desta diferença tão grande de respostas entre os apoiantes do SIM e do NÃO. Haverá, como dizem as sondagens, mais apoiantes do NÃO do que do SIM? Estarão os apoiantes do SIM sobre-representados entre os leitores deste blog? Estarão so apoiantes do NÃO menos disponíveis para o debate? Possivelmente um pouco das três."

Tambem acho que um pouco das tres. A amostra e', de qualquer modo, pequena. Mais importante do que isso, acho que, num post tao curto, acaba por ser dada demasiada importancia (metade do post) a um assunto que me parece pouco relevante. Mas isto e' materia puramente subjectiva, claro.

Tiago Mendes disse...

E nao cumpriste as "melhores praticas", de agradecer a quem respondeu ao desafio... :-)

(Bem sei que em tempos em que tudo se reduz a "politicamente incorrecto", "politicamente incorrecto", "anti politicamente correcto", etc, ha' coisas que parecem escusadas dizer, mas acho que, no caso, fica bem dize-las.)

Engº Carlos Guimarães Pinto disse...

Mentat:
"Eu até estou admirado que tenham aparecido tantos movimentos de apoio ao Não."

A mim não me admira que tenham aparecido tantos movimentos de apoio ao NÃO com vontade de ter tempos de antena...

"»»Haverá, como dizem as sondagens, mais apoiantes do NÃO do que do SIM?««

Esta frase deve ser ao contrário, não ?"

Sim.

Engº Carlos Guimarães Pinto disse...

Tiago:

Não era suposto o post ser tão curto, como se poderá, logicamente, concluír pelo referência númerica no título. Ainda pretendo tecer algumas considerações às respostas. Esta primeira parte pretende somente provocar os apoiantes do NÃO, a vêr se consigo uma amostra mais abrangente.

"E nao cumpriste as "melhores praticas", de agradecer a quem respondeu ao desafio... :-)"
Erro básico de quem escreve à pressa. Esperando que mais ninguém repare, tentarei corrigi-lo num dos próximos posts.

Anónimo disse...

Respondo eu também.

"Concorda com a realização do referendo e a formulação da pergunta?"

Sim.

"Qual a pena que pensa que deveria ser aplicada a mulheres que abortem com 3 meses de gravidez? E 6 meses?"

3 meses, nenhuma.

6 meses, prisão de 3 a 6 meses, não substituível por coima.

"A partir de que período da gravidez deverá a mulher ser punida criminalmente pelo aborto?"

4 ou 5 meses. Tendo em conta que, nesse período, é difícil determinar com exatidão a idade do feto por uma ecografia. Só se o feto fôr encontrado é que se pode dizer com exatidão qual era a sua idade.

"Considera que o aborto deverá ser realizado e suportado pelo Serviço Nacional de Saúde?"

Realizado, não. Apoiado financeiramente, em geral não, mas com exceções - no caso de mulheres comprovadamente muito pobres. Mesmo nesses casos, o SNS não deverá cobrir mais do que 50% do custo.

"Tem algum tipo de oposição moral à prática do aborto?"

Até aos 4-5 meses, não.

"Caso o SIM vença e o referendo não seja vinculativo, aceitaria a realização de um novo referendo nos próximos 10 anos?"

Sim. Mesmo que o resultado seja vinculativo, e qualquer que ele seja, acho admissível que se repita o referendo daqui a dez anos, se o povo (75.000 assinaturas) o pedir.

"Caso o NÃO vença e o referendo não seja vinculativo, defenderia a aprovação da lei no parlamento?"

Sim. Se o referendo não fôr vinculativo, então a AR pode e deve votar uma lei. Vota a favor quem quiser, quem não quiser vota contra. Os deputados têm o poder e o dever de exprimirem a sua opinião.

A abstenção não é, não pode ser, interpretada como sendo equivalente a um voto Não.

Luís Lavoura