2007/01/25

Desafio aos apoiantes do SIM

As perguntas que gostaria de vêr respondidas:

  1. Concorda com a realização do referendo e a formulação da pergunta?
  2. Qual a pena que pensa que deveria ser aplicada a mulheres que abortem com 3 meses de gravidez? E 6 meses?
  3. A partir de que período da gravidez deverá a mulher ser punida criminalmente pelo aborto?
  4. Considera que o aborto deverá ser realizado e suportado pelo Serviço Nacional de Saúde?
  5. Tem algum tipo de oposição moral à prática do aborto?
  6. Caso o SIM vença e o referendo não seja vinculativo, aceitaria a realização de um novo referendo nos próximos 10 anos?
  7. Caso o NÃO vença e o referendo não seja vinculativo, defenderia a aprovação da lei no parlamento?
Fica lançado o desafio: na caixa de comentários ou para o e-mail watching.back@gmail.com

15 comentários:

Anónimo disse...

voto pelo sim despenalizao das mulheres e tudo resto!!pork faco vos estas perguntas sera melhor ao em vez de poderem abortar de livre vontade,abandonem as criancas em orfanatos,hospitais e muitas vezes em caixotes do lixo ou mesmo mata las depois mais tarde a pancada ou a fome pork os problemas sao demasiados e nao tem condicoes e comida para lhes dar????sim ao aborto pois mulheres deseperadas fazem erros k as prejudicam a elas e a toda a sociadade!sera k teremos de continuar a recorrer a clinicas espanholas ou pessoas k se aproveitam do desepero para ganhar dinheiro e muitas vezes por vidas em risco!! eu voto sim!!

CGP disse...

Caro Anónimo,

Não respondeu às perguntas.

Anónimo disse...

Digo novamente sim ao aborto pois alem do comentario anterior ainda digo sera k uma crianca k nao pediu para vir ao mundo tem de pagar pelos erros dos progetores e viver para sofrer!!orfanatos lotados,bairros xeios de pessoas k vivem na miseria,e na criminalidade,abonos ridiculos dados pelo estado,sera k nao veem k afinal as casas de acolhimento de criancas tambem sao pagas por nos cidadaos?a natalidade no nosso pais estar a desder mas deve se a situacao do estado pt. nao as mulheres k decidem por razao pessoal e justificavel nao deixar vir ao mundo mais uma crianca para sofrer pois falta muito apoio neste pais a todos os pais e familias de portugal!!alem disso sabiam k no nosso pais kem ganha 500euros nao tem apoio escolar para os filhos k ridiculo com rendas de 300 ou 400eu,agua,luz gas,livros,roupa,comida!como deixar vir uma crianca para um pais sem condicoes de apoio aos cid. portugueses!!??? eu voto sim ao aborto!

Anónimo disse...

1- sim concordo
2-nenhuma (e ha pessoas k abortam com seis meses?)
3-e obvio que sim apartir dos 4 meses
seria um risco para a mulher mas continuo a ser contra a kalker tipo de penelizacao!mas serem usados termos de responsabilidade para casos de grande risco!!
4-sim obvio ou mesmo por clinicas privadas em portugal kem mais?
5-nao!
6-sim!
7-nao!

JLP disse...

Caro Anónimo,

Ainda bem que a resposta à pergunta do referendo é de cruz e não é por extenso...

Anónimo disse...

1. sim, claro, ja esta na altura de portugal sair um pouco da cauda da europa, porque e um dos poucos paises da europa que nao tem lei a cerca do aborto, sem penalizar a mulher
2. apartida com a despenalizaçao do aborto, sera legal faze-lo, nao deve haver qualquer pena para as mulheres que o façam, em relaçao aos seis meses, eu nao acredito e nao digo que nao aconteça abortos com esse tempo de gestaçao, acho que continua a ser uma decisao da mulher.
3. ja respondi atras
4.sim, claro se eu pago impostos e nao sao tao baixos como isso,eu prefiro saber que parte do dinheiro vai para a saude e para os hospitais para poderem dar um aborto limpo e sem riscos para a mulher, doque pagar ordenados churodos a certas e determinadas pessoas que nao o merecem
5.nao
6.para que fazer um referendo que no fim nao seja vinculativo, eu espero que o sim vença e sim respondendo a pergunta
7. se nao haver outra opçao, pelo menos que os deputados façam alguma coisa decente e aprovem a lei

Miguel Madeira disse...

1 - Sim; Sim
2 - Nenhuma; uma pena em multa ou trabalho comunitário (não prisão)
3 - Algures entre as 12 e as 24 semanas (a partir do surgimento de actividade cerebral)
4 - Sim, mas talvez financiado por um imposto especial aplicado às clinicas de aborto privadas
5 - Antes do aparecimento de actividade cerebral no embrião, não; depois, sim
6 - Sim
7 - Não


(As respostas 2 e 3 referem-se só a abortos não cobertos pelas excepções já previstas na lei)

JB disse...

1) Não concordo que matérias que contendem com liberdades negativas (no caso, a restrição da liberdade que decorre da possiiblidade de aplicação de pena de prisão a um mulher que aborta) estejam sujeitas a referendo.

A formulação da pergunta parece-me perfeitamente correcta.

2) A pena prevista na lei. A legitimidade de aplicação de penas de prisão a mulheres que abortam será muito maior se o aborto praticado até às 10 semanas for descriminalizado. Paradoxalmente ou talvez não, a nova lei terá muito mais possibilidades de proteger convenientemente a vida intra-uterina, que é o que, no final de contas, devia interessar.

3) A partir das 10 semanas. Embora qualquer prazo seja, em parte, arbitrário, penso que a proposta contém uma solução razoável.

4) Não tenho problemas que alguns abortos sejam praticados no SNS, desde que os custos sejam suportados por quem o deseja. A vitória do "sim" permite perfeitamente essa solução.

5) Tenho. Mas mais importante que minha posição moral sobre o assunto é a ideia de que não me cabe a mim impôr aos outros uma visão moral e que não me cabe a mim defender leis que contrariam os princípios básicos que devem presidir à decisão de criminalização de um comportamento. Prefiro a liberdade a considerações morais de qualquer espécie. Se admitidos restringir a liberdade quando não estão preenchidas as condições sociais e jurídicas para que tal suceda, deixamos de ser liberais.

6) Como já disse, acho a solução do referendo má. Aberto o precedente, tenho de aceitar que a questão seja revista nesses moldes. Aceitar que a questão fosse resolvida sem referendo afectaria irremediavelmente a legitimidade da solução que viesse a ser encontrada.

7) Mesma resposta que em 6).

Tiago Mendes disse...

A minha resposta:

http://logicamente-sim.blogspot.com/2007/01/resposta-ao-desafio-do-carlos.html

luispedro disse...

As minhas respostas:

http://blog.luispedro.org/posts/resposta-as-perguntas-do-small-brother

Ricardo Alves disse...

http://esquerda-republicana.blogspot.com/2007/01/resposta-ao-pequeno-irmo.html

Pedro disse...

1. Concorda com a realização do referendo e a formulação da pergunta?
Sim.

2.Qual a pena que pensa que deveria ser aplicada a mulheres que abortem com 3 meses de gravidez? E 6 meses?
Nenhum juiz aplica uma pena, tendo só o tempo da gravidez como factor de análise para determinar a sentença. Logo essa pergunta é um pouco disparatada, pois está fora de qualquer contexto em que possa surgir um julgamento por aborto.

3.A partir de que período da gravidez deverá a mulher ser punida criminalmente pelo aborto?
A partir do tempo que não é coberto pelo referendo. Dez semanas. Desde que o caso não seja incluído nos casos de excepção previstos pela lei.

4.Considera que o aborto deverá ser realizado e suportado pelo Serviço Nacional de Saúde?
Não.

Tem algum tipo de oposição moral à prática do aborto?
Sim. É uma prática contranatura. Uma violação ao corpo da mulher e à vida que vai ganhando formação. Daí que o acto voluntária (ou involuntário, em casos que para aqui não interessam nesta discussão) já é em si uma penalização.

Caso o SIM vença e o referendo não seja vinculativo, aceitaria a realização de um novo referendo nos próximos 10 anos?
Depende do que acontecer. Convenhamos que é difícil fazer futurologia...

Caso o NÃO vença e o referendo não seja vinculativo, defenderia a aprovação da lei no parlamento?
Não. O referendo, uma vez feito - e os referendos custam dinheiro - para alguma coisa deve servir.

Willespie disse...

1. Não e Sim.
2. Nenhuma e nenhuma.
3. A partir do nascimento completo e com vida.
4. Oui.
5. Sim, tenho.
6. Sim, uma vez que não tenho como não o aceitar.
7. Oui.

Otto Costa disse...

Vou deixar a resposta em meu nome pessoal :

1. Sim e, é aceitável
2. 0,0
3. 28,30 semanas
4. sim
5. não, até às 28,30 semanas
6. sim, mas só com a assinatura de uma proposta de referendo por 15% dos cidadãos .
7. não

Luís Aguiar-Conraria disse...

1) sim e não
2) penso que se deve aplicar a lei, tal como está, tendo eem atenção atenuantes que possam justificar um atraso relativamente às 10 semanas (por exemplo, é compreensível que uma mulher que continue com o período mesmo quando já está grávida falhe o prazo das 10 semanas).
3) 10 semanas
4) Sentimentos dúbios. A minha resposta honesta é talvez.
5) Sim
6) Sim, e se for vinculativo também aceito
7)Não