2008/05/23

Só não se vão embora os que não podem

O caso real de uma jovem:

  • Vencimento bruto anual: 60 000 Euros
  • Seg. Social (trab. @11%): 6600 Euros
  • IRS (@40%) : 24 000 Euros
  • Seg Social (empr. @23,75%): 14 250 Euros
  • Vencimento líquido (VL): 29 400 Euros
  • Custo Total para a empresa (CTE): 74 250 Euros
  • VL/CTE : 40%
60% do que a empresa está disposta a gastar directamente para que esta jovem trabalhe para ela vai para o Estado. O que fica pode levar a jovem para casa.

O que acontece aos restantes 40%?

Dado que tudo o que ganhamos será consumido mais cedo ou mais tarde temos que entrar em conta com os impostos sobre o consumo. Aqui o perfil de consumo pode levar a enormes variações. Hoje o peso dos transportes no consumo é altíssimo para algumas pessoas e para outras é muito reduzido. Mesmo assumindo uma taxa média baixa, 20%, temos que o estado ainda arrecada mais (29 400 – 29400/1,2) = 4900 deixando o indivíduo com 24 500 Euros depois de impostos.

O Estado português fica com 67% (100%-24500/74250) do que esta jovem deveria ganhar se recebesse todos os frutos do seu trabalho.

Para esta jovem as contas com o Estado só são saldadas em Setembro. De acordo com uma imagem usada muito hoje em dia apenas em Setembro esta jovem começa a trabalhar para si mesma.

Quando indivíduos de outras gerações se elevam com discursos palavrosos apelando para que os jovens talentos não saiam de Portugal deviam lembrar-se deste facto. O facto que os jovens talentos são explorados em Portugal por um Estado socialista que não escolheram. Não escolheram o Estado mas podem escolher onde vivem e onde desenvolvem o seu talento. E só não se vão embora os que não podem.

11 comentários:

Miguel Madeira disse...

"IRS (@40%) : 24 000 Euros"

Tem certeza desta conta? Penso que deve ser para aí 18 500 (os 40% só se aplicam ao rendimento que excede os 56 800 euros)

http://www.inforfisco.pt/GuiaFiscal/IRS/Taxas.htm

qwerty disse...

60000 brutos e vai-se embora? Deve ser mesmo genial.

Carlos Guimarães Pinto disse...

Há ainda um outro factor a ter em conta: parte do valor que o trabalhador cria para a empresa é comido pelo IRS o que reduz o valor que as empresas estão dispostas a dar ao trabalhador.
Por cá estão muitos com esse perfil que mencionas...

Filipe Melo Sousa disse...

Em que conta entram os parquimetros, O ISP que incide sobre o IVA (ou vice-versa, a multiplicação é comutativa), as multas, os impostos sobre alcool e tabaco, o IMI e IMT, os subornos aos fiscais da câmara quando se faz obras em casa, e as multas por atraso na entrega do IRS? Não existe maneira de delapidar esses 29.400 um pouco mais?

dorean paxorales disse...

"Em que conta entram os parquimetros, O ISP que incide sobre o IVA (ou vice-versa, a multiplicação é comutativa), as multas, os impostos sobre alcool e tabaco, o IMI e IMT, os subornos aos fiscais da câmara quando se faz obras em casa, e as multas por atraso na entrega do IRS? Não existe maneira de delapidar esses 29.400 um pouco mais?"

Estou a ver que há aqui muito espaço para cortar nas despesas e aumentar o rendimento líquido.

Anónimo disse...

estive a ver o blog mindthisgap e a aferir das opiniões e trajectos de vida dos que emigram de portugal, e no geral todos referem como razão principal o clima de exploração instituída do privado especialmente em relação aos jovens e estagiários. Ninguém refere os impostos ou as taxas do governo português. Acho curioso.

Mentat disse...

Caro Ricardo

Temo que a sua amiga, não tenha explicado bem o que ganha.
60000€ brutos anuais correspondem a 4286€ brutos mensais.
Considerando que a jovem ainda não casou, nem tem dependentes, a taxa prática do IRS é de 25%.
Portanto o montante anual de IRS será no máximo 15000€, dos quais a jovem recuperará nas calmas 2000€, a menos que seja genial mas tonta no que se refere à sua gestão pessoal.
Depois há considerar outras questões.
Não há empresas privadas que paguem salários dessa ordem todos “por cima da mesa” dos impostos.
Dentro de toda a legalidade e sem descontos a jovem genial recebe pelo menos mais 20x6.05€*11=1331€ por ano de subsidio de refeição.
E como com um vencimento desses é com toda a certeza uma pessoa que tem de se deslocar terá veículo de firma ou será paga ao km em viatura própria.
Assim, entre veículo ou Kms, subsidio de refeições ou ajudas de custo (que no caso presente podem ser 60.98€ por dia ), a jovem pode receber no máximo mais 38400€ anuais).
Isto tudo dentro da lei, sem fugas aos impostos.
Ou seja a sua jovem genial recebe por ano, no mínimo 38400+1331=39731€ ou no máximo 76800€.

Obviamente que não será esta jovem que terá alguma angústia existencial em saber se emigra ou não.

Mentat disse...

O que não quer dizer que eu não concorde com o seu post.
O exemplo foi é muito mal escolhido.

Porque sinceramente "jovens talentos" que recebam salários desse montante em Portugal e não se sintam satisfeitos, gfazem cá tanta falta como "uma viola num enterro".
.

Mentat disse...

Porque na realidade nua e crua, os jovens talentos com vencimentos dessa ordem que eu conheço são filhos ou "sobrinhos" do Patrão...

Ricardo G. Francisco disse...

Caro Mentat e Miguel Madeira,

De facto, com 60 000 Euros a taxa média é superior a 31% mas não é de todo 40% (a taxa marginal). Não vou alterar o post mas fica aqui o reconhecimento do erro...

Obrigado,

Ricardo G. Francisco

Anónimo disse...

Caro Filipe, num mercado de trabalho liberal e globalizado, quem está mal muda-se, a não ser que seja incompetente ou pouco apreciado pelo mercado de trabalho...
Em que classificação tu e a sra. do exemplo se incluem? Não obriguem os outros a mudar, mudem-se vocês como costumas defender e bon voyage...