2007/06/21

Quiz...

Conversa entre A, B e C:

A: Tenho um problema gravíssimo com uma fábrica. Os trabalhadores em alguns meses desaparecem por completo. A fábrica para e perdemos toda a produção do mês.

B: Param porquê? Não estão satisfeitos?

C: Quanto é que perdes nesses meses sem produção?

A: Eles estão satisfeitos, mas vão trabalhar para as terras deles. São meses de colheitas. Perco 100.000 Euros em cada mês.

B: Não há desemprego nessa zona, certo?

C: E quanto é que gastas em salários?

A: O desemprego e o sub-emprego atingem níveis brutais. Gasto em salários 5.000 Euros por mês.

B: As condições de trabalho devem ser muito más... são trabalhadores precários?

C: Quanto é que eles ganham nas colheitas?

A: (B)Têm um contrato e ganham semanalmente como é prática. Não temos acidentes de trabalho. São as pessoas com mais educação na zona que procuram trabalho nas fábricas. De facto são também esses que têm mais terras próprias. (C) Nos meses de colheita ganham o dobro se trabalharem nas próprias terras do que se estivessem na fábrica.

B: Pelo menos os trabalhadores estão contentes. Os donos da fábrica podem bem com o prejuízo. Eis um bom exemplo em como a vontade dos trabalhadores unidos os liberta do jogo do capital em prol do desenvolvimento dos meios próprios de produção.

C: Porque é que não aumentas os salários de todos os trabalhadores para o dobro em todos os meses? Dessa forma os trabalhadores da fábrica já não teriam razões para parar de trabalhar nos meses da colheita porque podiam contratar outros para fazer o seu trabalho na terra.

Pergunta 1: O que deve fazer o A?

i) Nada

ii) Congratular-se por gerir uma fábrica em que os trabalhadores também trabalham a sua própria terra

iii) Duplicar os salários dos trabalhadores

Pergunta 2:

No texto quem é o socialista e quem é o liberal?

Pergunta 3:

Os trabalhadores ficam melhor com a solução do liberal ou com a solução do socialista?

Pergunta 4:

O dono da fábrica fica melhor com a solução do liberal ou com a solução do socialista?

Pergunta 5:

Esta história tem algum fundo de verdade?

9 comentários:

gerencia disse...

Falta saber :

a) quantos são os trabalhadores.
b) quantos são os meses de colheitas.
c) o que justifica o tal desemprego brutal.

SMP disse...

Muito bom.

Cirilo Marinho disse...

Sendo alguns 3 meses, em cálculos simplistas e sem ter em consideração subsidios, contratos, estatisticas enviesadas:

1. Deve fazer as três coisas. Maioritariamente nada, contudo se for porreiro congratula-se com a propriedade privada própria e dos outros, embora a melhor solução do ponto de vista do seu lucro seja duplicar o salário anual (resta saber se aceitariam).

2. B elogia a iniciativa privada, embora pelas más razões - liberal.
C propõe uma solução mais rentável - liberal (por arrastamento induz aumento do emprego).

3 e 4. Ficariam melhor com a opção C embora faltem alguns dados substanciais.

5. Ouvi falar de estórias parecidas em Angola, embora nunca tenha conhecido um negócio em que os recursos humanos custem 5% da facturação.

Agora vem a parte em que tu pretendes explicar qualquer coisa... :)

gerencia disse...

Continuam a faltar dados importantíssimos no problema.

(P.S - Portugal, vindimas, repete-se todos os anos).

Ricardo G. Francisco disse...

GErÊncia:

Falta saber :

a) quantos são os trabalhadores.

Independentemente da resposta à 5, escolha o número dos trabalhadores.

b) quantos são os meses de colheitas.

Pelo menos 1...


c) o que justifica o tal desemprego brutal.

Escolha uma justificação...é irrelvante para as respostas.

Que mais dados é que precisa?

Ricardo G. Francisco disse...

Cirilo,

Esta história é praticamente real. Passa-se em um país de África, um dos mais pobres do mundo. O gestor da fábrica é o socialista, fez dois papeis. Os números são aproximados mas de facto o custo com os trabalhadores é menos que 5% das receitas.

gerencia disse...

Tinha treslido o post, escaparam-me algums coisas..

Em todo o caso, desemprego e absentismo elevados não condizem.

Assim, neste caso, porque não :
a) recrutar não-proprietários?

b) Ajustar o calendário da fábrica ?

(ou outras soluções igualmente engenhosas..)

Ricardo G. Francisco disse...

Gerência,

Muitas outras soluções mais ou menos engenhosas podem aparecer.

O ponto do Quizz é que existem muitas situações em que a dialéctiva marxista não só não faz sentido como a sua aplicação provoca prejuízos tanto aos trabalhadores como aos proprietários de um negócio. Por outro lado que em situações reais, do dia a dia as soluções de mercado são soluções que favorecem tanto trabalhadores como proprietários.

Ricardo G. Francisco disse...

E o desemprego e falta de pessoas interessadas em trabalhar não é nada de estranho. Por isso se divide o desemprego em 3 categorias. Uma das categorias contem exactamente os desempregados voluntários.