2007/06/12

Diz que é uma espécie de Liberalismo Marxista

Assim de rajada, tivemos as "políticas activas de criação de emprego", as "desigualdades de rendimento que permanecem assustadoramente altas" e um "processo de integração e construção europeia, só terá futuro se funcionar numa plataforma de «igualdade ou exclusão» para os estados membros".

Ainda bem que nós temos os nossos liberais para nos defender dos desvios anarco-capitalistas do ps e do psd.

13 comentários:

Filipe Brás Almeida disse...

Uma vez que discordas com o slogan - «igualdade ou exclusão» para os estados membros da União Europeia, suponho então que defendes que «direitos e poderes especiais» devem ser conferidos para certos estados membros.

Só pergunto é qual destas é que te soa mais a Marxismo?

Igor disse...

A mim nenhuma me soa a marxista. Mas a segunda fede ao extremo oposto. Uma espécie de nacional-socialismo aplicado às teorias da integração - Ernst Haas, vai-te embora, já não és preciso.

Ricardo G. Francisco disse...

Eu ainda me lembro quano no mls o "social" significava que o movimento não procurava apenas as "liberdade económicas".

Parece que se assumiram mesmo como socialistas. É pena.

Vítor Jesus disse...

hmmm... bem...
O das políticas activas é do Luís Lavoura, essa figura ímpar que dá tanto ao MLSocialista como ao acordo ortográfico.

O das desigualdades é do Hugo Garcia que, nao obstante a maior das simpatias que lhe tenho, nem sempre é muito coerente no que diz.

Não conheço o Miguel Bras de Almeida mas - vá lá - o post sobre a "igualdade ou exclusão" tem conteúdo igual ao da densidade do ar subtraído de uma unidade. Já uma discussãozita sobre o que é "igualdade" numa federação do tipo UE com membros tão heterogeneos ainda acharia interessante. Deve ter sido um problema de quota e ele lá andava atrasado na sua contribuição para o blog.

Tudo na mesma no MLS. Deve ser do sono, mas começo a imaginar o Miguel Duarte o Garcia-Pereira-one-man-show, versão eu-sou-pela-liberdade da próxima década.

Devo dizer que o Miguel Duarte, por quem nutro uma simpática aversão, ainda vai dizendo umas coisas interessantes e, ainda mais importante, é dono de uma enorme coerência. Mas não lhe comprava um carro em 2ª mão.

Cirilo Marinho disse...

Não não Filipe. Especiais em nada. Apenas poderes e direitos próprios de estados soberanos.

Prescindo do federalismo por imposição política.

Mas no segundo parágrafo tens razão. Não há maiores exemplos de defensores da liberdade de associação e da diversidade do que os países que implantaram o marxismo.

Cirilo Marinho disse...

Igor: Marxismo oposto de nacional-socialismo?

E o teu livro de estória, veio em fascículos na caras?

Cirilo Marinho disse...

"istas" meu caro Ricardo. Um pequeno passo para o mls, um grande passo para o liberalismo tal qual o conhecemos.

Cirilo Marinho disse...

Por acaso Vitor trocaste o Luis e o Hugo. Mas aquilo por lá anda um pouco parecido. Deve ser o tal ditame "igualdade ou exclusão".

Cirilo Marinho disse...

Já agora Filipe, eu tive a sorte de ter ido diversas vezes à Polónia. E nunca me cruzei com um único polaco (e conheço algumas dezenas) que não ache o russos TODOS uns fdp's.

Com ou sem exagero, se calhar têm algumas razões históricas para isso. E curiosamente não mantêm essa atitude em relação aos alemães, pelo menos nos dias de hoje.

Igor disse...

LOL Cirilo, eu com certeza não leio revistas dessas, mas se a Caras realmente vende fascículos com "estórias" já consigo perceber os teus disparates.

Começa a ler coisas mais interessantes. Talvez consigas começar a perceber um pouco de História.

Cirilo Marinho disse...

Yá. Em cheio, mano.

A última estória que lá li era assim: "Havia uma menino pequenino que foi gozado por um colega por ler estórinhas publicadas em fascículos de uma revista popular. Vai daí, resolveu ser original. E foi ter com o colega e gozou-o porque afinal ele é que lia estórinhas publicadas nesses sítios estranhos, que ele nem sabia onde eram."

Certamente que tu, como bom liberal, me vais ajudar a auto educar-me, corrigindo os meus disparates. Aguardo então sugestões de leitura interessantes. Podias começar por livros (dos bons, atenção) onde se comparem os extremos ideológicos.

Obrigadinha, tá?

Igor disse...

Eu?

Nem pensar. Teria tanto resultado quanto tentar mostrar a um tipo do PCP que Cuba não é o paraíso e que se calhar até assim um bocado mázita para se viver.

Escusado.

Cirilo Marinho disse...

É pena.

Pensei que o convite à leitura era sincero. Fiquei ligeiramente emocionado até.

Mas como quem não sabe,não recomenda, acabas por ter piada. Involuntariamente.

Para membro de um partido liberal, estás a trabalhar mal.

Ou então decidiste que o teu target de conversão são os membros do bloco de esquerda.

Também está bem.