2007/06/01

Diz que é o tal de " progressismo "

Propõe Hugo Garcia, vice-presidente responsável pelo programa político do M"L"S, como moção sobre o desporto escolar (?) a ser votada em futura Assembleia Geral (excertos, com negritos meus):

O Movimento Liberal Social propõe que:

- Todas as modalidades deverão ter um carácter competitivo pela sua essência ou por demonstrações. Ficam assim excluídas as modalidades conhecidas como as de ginásio (Yoga, Pilates, Musculação ou aulas de estúdio).
- As modalidades deverão também ter uma forte componente de preparação física. Ficam assim excluídos o golf e o malabarismo.
- Ficam também excluídos desportos motorizados;
- Os alunos poderão ser excluídos das equipas por mau aproveitamento escolar, por comportamentos desadequados dentro e fora da escola, por se detectar o consumo de substâncias ilegais como esteróides, por faltarem aos treinos, ou por desleixo nos treinos e jogos.

O Movimento Liberal Social pretende desta forma:

- Promover a diversidade no desporto e na competição, nos praticantes, bem como nos espectadores;
- Preparar grandes atletas para competições internacionais que no sistema actual não têm hipótese, promovendo Portugal através do desporto;
- Em combinação com o sistema de financiamento cheque-ensino (como proposto pelo MLS), incentivar as escolas a encontrar ou desenvolver condições para a prática de variadas modalidades desportivas;
- Desincentivar, sem proibir, o consumo de substâncias prejudiciais como álcool, tabaco, comida com excesso de gordura, derivados de cannabis, etc.
- Desenvolver o carácter, a auto-disciplina e a força de vontade dos jovens estudantes sem recorrer ao “tiranismo”;
- Desenvolver orgulho pela escola e pelos colegas;

13 comentários:

AA disse...

17.

Your recreation is "planned" ....

It is no coincidence that sports and amusements have been carefully "planned" in all regimented nations.

Once started, "planners" can't stop.

Anónimo disse...

Faço notar duas coisas:

1) Estas frases estão retiradas do contexto. O contexto, tanto quanto eu percebi, referia-se à POSSIBILIDADE de as escolas QUE O DESEJASSEM darem a POSSIBILIDADE FACULTATIVA aos alunos QUE O DESEJASSEM de substituírem a disciplina de educação física pela participação em equipas de desporto competitivo inter-escolar.

2) As posições pessoais de um qualquer membro do MLS, por muito importante que ele seja na hierarquia do MLS, não são posições do MLS enquanto não tiverem sido aprovadas como tal em assembleia-geral do MLS. Há um histórico de moções apresentadas, inclusivé por membros destacados do MLS, a assembleias-gerais do MLS, terem sido por elas rejeitadas.

Luís Lavoura

Cirilo Marinho disse...

João, estavas mesmo à espera que comentasse? :)

JLP disse...

"João, estavas mesmo à espera que comentasse? :)"

Eventualmente consideraria ler uma doutas palavras do nosso mestre de serviço...

Mas, também admito que o choque tenha sido grande.

:-D

JLP disse...

"Estas frases estão retiradas do contexto."

Felizmente, está garantido o acesso ao texto original a qualquer um que queira esclarecer o quão afastadas do "contexto" as frases citadas estão.

Ricardo G. Francisco disse...

O Luís Lavoura quer dizer que vai votar contra.

Eu acho que para ficar completo faltam pontos a falar de vestuário e de hinos.

Uma ideia a explorar seria que fossem estes mesmos alunos a fiscalizar a adequação do comportamento dentro e fora da escola. Uma fardazita podia sinalizar o caracter e a disciplina destes grupos sem que estes tivessem de recorrer a comportamentos tiranos.

Sim senhor. E a pensar que há malta por aí a querer acabar com as regras na escola de todo. Como se isso fosse compatível com um cheque ensino. Ao contrário desta moção.

JLP disse...

"As posições pessoais de um qualquer membro do MLS, por muito importante que ele seja na hierarquia do MLS, não são posições do MLS enquanto não tiverem sido aprovadas como tal em assembleia-geral do MLS."

Uma qualidade imprescindível a um dirigente com responsabilidades políticas, nomeadamente em relação à imagem externa de uma organização (particularmente numa questão tão sensível como o seu programa político), é a qualidade de saber estar calado (a que acresce quando abrir a boca saber do que está a falar e como o fazer).

Mas isso é para mim, que sou um desprezível conservador.

Anónimo disse...

-- Uma qualidade imprescindível a um dirigente é saber estar calado --

Plenamente de acordo.

Mas também, uma qualidade relevante de qualquer pessoa é saber não andar a espiar dentro das conversas e discussões privadas dos outros. E não andar a divulgar em altas vozes aquilo que conseguiu espiar de conversas e discussões que, por natureza, se entendem como privadas (embora possam ser ouvidas).

LL

JLP disse...

"E não andar a divulgar em altas vozes aquilo que conseguiu espiar de conversas e discussões que, por natureza, se entendem como privadas (embora possam ser ouvidas)."

Caro Luis Lavoura,

O que são conversas "por natureza privadas"?

Quem quer ter conversas privadas, torna-as privadas. Não as disponibiliza abertamente ao público em geral na página de entrada de um blog e depois vem clamar por "devassa".

Contudo, parece que há pessoas que querem deixar transparecer uma imagem de "abertura", de "accountability", de "frescura na discussão" e de "processo democrático", mas que depois se admiram quando são feitos juízos públicos da informação que voluntariamente (e com claro interesse político) optaram por disponibilizar.

Não é difícil tornar um fórum privado. Aliás, é bem fácil de o fazer na plataforma que utilizam, que julgo ainda ser o Drupal.

Se precisarem, estou desposto a auxiliar-vos como consultor, por um preço módico.

Miguel Duarte disse...

Hehe, não te sabia leitor assíduo do nosso fórum. ;) (deves sê-lo, pois o Hugo colocou lá o referido texto há dois dias)

Quanto ao resto, deves ter tido a experiência, enquanto estiveste no MLS, de saber que uma proposta de moção é meramente isso. Os textos finais são geralmente bastante diferentes do inicial. Sendo que muitos, como o Luís Lavoura afirmou e bem, são rejeitados pelo caminho (e já vários membros da Direcção, incluindo eu, tivemos essa experiência).

De qualquer maneira, agradecemos-te os teus comentários, que irão ser tidos em conta, como, todos os comentários adicionais que queiras fazer sobre as nossas propostas (ou até propostas de moções que nos queiras fazer chegar, porque não).

Tenho a certeza que o Hugo, quando publicou num fórum público uma moção que idealizou, foi precisamente à espera de opiniões externas, com vista a melhorar o seu draft de moção.

A política, quando é feita de uma forma aberta, tem o inconveniente de ser muito mais aberta à crítica, mas o benefício, de por outro lado, poder levar em conta as próprias críticas. No fim, o nosso trabalho fica de melhor qualidade. Graças a ti e a outras pessoas como tu.

tiago mendes disse...

Isto dava pano para mangas...

Primeiro, ha' que diferenciar a Educacao Fisica da Educacao Desportiva. Tem objectivos diferentes. A primeira visa sobretudo tornar o individuo mais competente num serie de vertentes, enquanto a segunda e' eminentemente socializante. Ambas podem, ou nao, ser competitivas. A prioridade de uma sobre a outra depende de varios factores, como a idade e as condicoes para a pratica de uma e outra.

Nao me vou alargar muito sobre o tema, mas deixo algumas notas:

(1) A enfase na (necessidade de) pratica desportiva (sobre a educacao fisica) parece-me exagerada, ou, dito de outro modo, a forma como a Educacao Fisica aparece menorizada parece-me preocupante;

(2) E', em parte, compreensivel a critica 'a Educacao Fisica (EF) que se faz em Portugal, porque ela e', efectivamente, bastante pobre, desde logo pela falta de qualificacao e/ou inspiracao dos professores de EF;

(3) Fala-se na necessidade de desenvolvimento das "capacidades fundamentais de resistencia, agilidade e cardio-vasculares". Primeiro, deveria estar cardio-vascular - no singular -, porque nao ha outra. Segundo, no contexto do texto, "resistencia" so' parece ser interpretavel como capacidade cardio-vascular, pelo que existe uma repeticao. (Podemos falar de "resistencia muscular", mas nao parece ser isso o sugerido, ate' porque isso e', mal ou bem feito, um dos pontos da EF);

(4) Quando se fala de varios tipos de "modalidades desportivas" e se exclui Yoga e Pilates referindo serem elas "modalidades de ginasio" e' um pouco triste. Yoga, Pilates, como Ginastica (sueca, americana, etc) sao formas de exercitar o corpo (e nao so, mas tambem). De resto, muito teria a EF "actual" a ganhar em incorporar alguns ensinamentos destas modalidades numa pratica fisica mais holistica e completa (e, repito, o enfoque de umas e outras modalidades depende bastante da idade dos alunos);

(5) Quem e' que disse que o malabarismo nao da' preparacao fisica? Agilidade, equilibrio, coordenacao, flexibilidade, resistencia muscular - ora aqui esta' ela -, capacidade CV dizem alguma coisa ao autor?

(6) A EF nao deve, em minha opiniao, ser "totalmente opcional", mesmo que o aluno opte por representar a escola, nem muito menos deve ser celebrada - e isso perpassa o texto - a ideia de que a EF e' um martirio e um castigo;

(7) Agilidade nao e', como o autor diz, "elasticidade mais forca". Alias, elasticidade e' um conceito que nao existe neste campo (mas sim flexibilidade). Agilidade e' uma combinacao de "equilibrio", "velocidade", "forca" e - talvez o mais importante - "coordenacao";

Quanto 'as varias "motivacoes" enunciadas, muitas delas tem um tom que nao me agrada particularmente, mas isso sao discussoes politicas, que ficam para outra altura.

tiago mendes disse...

Preferiria a denominacao "Educacao Fisica" e "Pratica Desportiva" (em vez de "Educacao Desportiva"). Embora esta ultima tenha muitas componentes educativas, deve ser diferenciada porque nao e' uma aprendizagem sobre o proprio corpo e o uso funcional do mesmo, mas sim de uma pratica em que mais coisas (para alem do corpo) estao geralmente envolvidas - ou, caso esteja apenas o corpo, de modo a atingir objectivos que nao apenas fisicos.

Anónimo disse...

O Tiago Mendes, em vez de estar aqui a gastar o seu (bom) latim em comentários, faria bem em escrever estas ideias sob a forma de moções a apresentar ao MLS.

É que o MLS é tão liberal, que até aceita moções de não-membros...

LL