2007/05/19

Estranhezas

Será que sou só mesmo eu que acho estranho que a competência da marcação da data das eleições municipais extraordinárias seja do governo civil?

Ou seja, que seja um órgão que representa regionalmente o governo central, de nomeação política pelo governo (um órgão com legitimidade democrática indirecta), a marcar as eleições para um órgão com legitimidade democrática directa?

Não faria mais sentido que tal fosse feito pelo Tribunal Constitucional ou por uma comissão da Assembleia da República especificamente constituída para o efeito?

Ou foi só para não se dizer que os governos civis só servem para emitir passaportes e autorizar manifestações e festas?

2 comentários:

Cirilo Marinho disse...

Não
Não
Sim
Sim

É o que há.

Agora caladinho, nada de criticar o poder (não) democraticamente eleito, senão ainda te levanto um processo disciplinar e suspendo-te temporariamente de ceo.

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Parece-me que o último parágrafo explica tudo!

J.

PS: O comentário de CM revela que o JLP poderá ser alvo de um "putsch bloguista"; se precisares de´um advogado, estou às ordens!!!

:)

J.